sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

E o pensamento, o que tem criado?

Numa das passagens dos Evangelhos mais desafiadoras à nossa pequenez espiritual, Mateus nos dá a conhecer o ensino de Jesus a respeito da milenar proibição ao adultério contida no Decálogo judaico:

Ouvistes o que foi dito: "Não adulterarás". Eu, porém, vos digo que todo aquele que olha uma mulher para desejá-la, já adulterou com ela em seu coração. (Mt 5, 27 e 28, tradução de Haroldo Dutra Dias)

Se o domínio sobre as próprias ações - externas, visíveis e passíveis do julgamento do outro - já é um grande desafio para muitos de nós, que dizer da disciplina do pensamento? Essa esfera de ação interior que normalmente encaramos como só nossa, como o espaço mais íntimo e pessoal de que dispomos para sermos nós mesmos?

Se há uma parcela da Verdade nessa forma de enxergar as coisas, ela está no fato de que o pensamento realmente revela sem erro aquilo que somos. Sem máscaras, sem pudores ou maquiagens. O erro, porém, começa na suposição de que ela seja realmente "íntima e pessoal".

Aquilo em que pensamos nos põe sempre em determinada zona mental, compartilhada por milhões de outros seres espirituais, irmãos na jornada de aprimoramento de si. Esses pensamentos, somados, entram em ressonância uns com os outros, potencializando efeitos, frequentemente negativos, e aprisionando o Espírito, quando ele não tem o hábito de cultivar a própria Vontade no terreno da Verdade.

Porém, o efeito só costuma ser negativo, inferior, materializado porque assim também costumam ser os nossos pensamentos. Onde colocamos o pensamento, aí se nos desenvolverá a própria vida, explicará o Instrutor Gúbio a André Luiz, numa das obras-primas da psicografia de Chico Xavier, Libertação.

Por isso mesmo, o Espírito que se esforça sinceramente por transformar o pensamento característico que traz, e esse  não é um esforço pequeno para nenhum de nós, conta também com o mesmo fenômeno de ressonância mental a seu favor. 

Nesse caso, porém, é com os pensamentos superiores que a sua mente vibrará. E as vibrações do Alto, ao contrário daquelas a que estamos mais condicionados, alimentam o Espírito de Esperança, uma Esperança Verdadeira e Progressiva que nos impulsiona para o Caminho da Verdade!

Manter-se sob a influência desse Impulso Superior é um desafio ainda maior, diante da nossa inconstância e do pensamento viciado em certas emoções doentias que ainda carregamos. E aí se faz necessário, ainda e sempre, o desenvolvimento de um "pensamento reflexivo, criando um movimento mental que assegure ao Espírito a capacidade de averiguar como se encontra seu pensamento e qual é a força que a Vontade exerce sobre ele", como propõe a Equipe Eurípedes Barsanulfo na obra mais recente ligada ao trabalho da Evangelização de Espíritos, A Libertação do Espírito.

Temos que aprender a refletir diariamente sobre o que o pensamento tem criado. De forma a não nos iludirmos com o brilho aparente de certas criações mentais, nem nos conformarmos com a estreiteza cinzenta de horizontes em que nossa mente às vezes estaciona e se demora por longos períodos... Assim, seremos pouco a pouco mais capazes de identificar com clareza o que está por trás de nossos pensamentos e a que eles têm dado origem. Pautando-nos mais e mais no exemplo incondicional dAquele que, Antes de Criar, amou com Infinito Amor a Criação...

12 comentários:

Roney - florear disse...

Meu amigo Romário, acredito que seja um dos desafios maiores para todos, o controlar os pensamentos para que eles não saiam da linha de vibração que desejamos estar.

Em um pequeno deslize, uma frase que ouvimos de alguém perto, vendo TV, na rua, vários fatores podem nos incitar a vários pensamentos de baixo nível, colocando-nos em uma espécie de hipnose, onde a força de vontade tem que ser enorme para nos acordar, e entendermos que pensamento inútil estamos tendo.

Creio que algo que os espíritos sempre solicitam, já confirmei ser de grande valia: a leitura edificante.

Enquanto a mente se ocupa das reflexões benéficas de boas leituras, e com um pouco de esforço, nossa mente parece criar uma barreira durante o dia.

Tuas reflexões fazem parte desta leitura edificante!

GRANDE abraço para o Espírito de Arte!!!

Janaina Minelli de Oliveira disse...

Olá Romário, tenho pensado muito sobre o tema. Quando estou ocupada, lendo um livro edificante ou fazendo voluntaiado, por exemplo, nao tenho muita dificuldade para controlar meus pensamentos. Mas quando estou em quietude, meus pensamentos se desorganizam... Nao sei como controlá-los... Alguém sabe como?

Espírito de Arte disse...

Grande Roney! É sempre bom ter sua presença neste singelo espaço virtual, meu amigo!

Você tocou mesmo num ponto fundamental que acabou esquecido no texto. Nosso vício no erro e na ilusão é tão grande que muitas vezes basta uma faísca de estímulo para desencadear o incêndio das paixões tão ardorosamente edificadas e alimentadas em nosso passado...

É preciso ter muita clareza quanto ao fato de que somos doentes em tratamento. E que, por isso mesmo, não devemos continuar a nos expor aos estímulos nocivos do passado. Sob pena de, mais uma vez, nos negarmos a atender o chamado do Cristo...

E eu não pretendo sair daqui reprovado mais uma vez nessa lição!

Espírito de Arte disse...

Sabe, Janaina, entendo que esse é um problema bastante típico.

Manter a sintonia em ambientes e condições que estimulam nosso pensamento a vibrar com a Verdade é tarefa relativamente simples para a maioria de nós.

Nadar contra a maré das vibrações inferiores é que é o desafio, principalmente por sermos, em maior ou menor grau, viciados mentalmente no conflito, na crítica, no incômodo, no prazer...

Dentro da experiência de lutas nessa campo que Jesus misericordiosamente me propiciou até hoje, entendo que o esforço por criar novos condicionamentos é fundamental.

Isso que o Roney falou, sobre as leituras edificantes, é um passo simples mas muito valoroso, ao lado da prece e do recurso à Arte que edifica.

Os três, Leitura, Prece e Arte, são estímulos poderosos para nos ajudar a desconstruir o pensamento característico, as idéias mais recorrentes e habitualmente inferiores que marcam nosso quadro mental.

Eles nos ajudam a lembrar dos nossos compromissos com o Novo e com Belo, além de nos auxiliar a manter sempre claro na memória o fato de Jesus nos ampara sempre, mas aguarda pacientemente que queiramos ajuda para que Seu amparo funcione plenamente!

PASSAGEIRA disse...

Muito bom mesmo. Sao coisas que pensamos que sabemos a todos os momentos, mas queado a gente le e traz para uma verdadeira reflexao, noa de superficie, chegamos a conclusao que temos que prestar muita atencao nos nossos passos. Obrigada Romario. Compartilhei no meu facebooki.

Janaina Minelli de Oliveira disse...

Obrigada Romário, leitura, prece e arte... quer dizer: estudo (entender quem somos e a que viemos), connexao com o criador (humildade e sintonia com o bem), trabalho (participar na criaçao com obras, apesar de imperfeitas, elaboradas des de o nosso desejo de amar). Obrigada mesmo... sabemos estas coisas, mas falar sobre elas parece que desperta uma consciência maior lá dentro =)
(Coloquei seu blog entre os nossos amigos. Passa lá depois.http://amaliadsoler.blogspot.com/)

Fernando Marcos disse...

Romário,
procurei este livro ( A Libertação do Espírito ) na livraria da UEM e não encontrei.
Por favor me informe o nome do médium que psicografou o livro e se possível a editora.
Obrigado pela sugestão, este tema é muito importante.
fernandomarcos.soares@gmail.com

O Espírito de Arte disse...

Janaina, a isto podemos chamar de organização do pensamento. O Espírito adquire tanta informação ao longo da existência... Mas é fundamental organizar e reorganizar constantemente esse conteúdo, de forma a deixá-lo pronto a servir de base para mudanças existenciais em nós.

A propósito, muito interessante o blog. Dá pra entender bem, apesar de ser em espanhol! Vou examiná-lo com mais calma!

O Espírito de Arte disse...

Fernando, realmente não tem esse livro na livraria da União. Ele é bem recente e ainda não chegou lá. Em todo caso, você pode encontrar por lá outros do mesmo autor espiritual, Eurípedes Barsanulfo, e da mesma médium, Alzira Bessa França Amui, de Sacramento (MG). O Libertação do Espírito, especificamente, em Belo Horizonte você só vai encontrar no Grupo Espírita Paz e Harmonia, que fica no Alto dos Pinheiros.

Janaina Minelli de Oliveira disse...

Legal gente! Eu sou de BH. Quando estiver por aí, visitarei o centro =)

Anônimo disse...

ghfgf

João Batista de Lacerda disse...

O pensamento é força criadora.
Tanto pode criar coisas para o bem, quanto para o mal!