quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mais

Monteiro Lobato, o Sítio e a Mediunidade

Que Monteiro Lobato foi espírita, quase todo mundo sabe. O maior autor infantil brasileiro começou a se aproximar do espiritismo aos 61 anos, logo após a morte do filho, Edgar Lobato. Demorou algum tempo até que ele resolvesse participar das reuniões mediúnicas informais realizadas pela família. Mas do dia em que sentou à mesa, em 21 de dezembro de 1943, até deixar a Terra, cinco anos mais tarde, não parou mais! Virou secretário das sessões que tinham como médium sua esposa, Purezinha. Transformava, segundo relatos de quem já teve acesso à obra Monteiro Lobato e o Espiritismo, de Maria José Sette Ribas, simples atas de reunião em verdadeiras peças literárias.

Este é um trecho da sessão realizada em 12 de agosto de 1944:

"Tivemos uma sessãozinha de excepcional valor emotivo. Sem muita demora o copo escreveu": – Adamastor Ferraz. – Português, evidentemente, mas de onde irmão? – Inhambane, Moçambique. – Lembra-se de quando passou, ou faleceu, ou morreu? – Desencarnei em 1868. – Uma coisa: estará, por acaso, vendo outros espíritos nesta sala, aqui junto de nós? – Muitos. – Pode distinguir algum? – Principalmente uma irmã já idosa. "Ficamos todos assanhados, porque podia ser a mãe de algum dos presentes. Eu perguntei:"? – E onde está essa irmã? – Pegada a irmã vestida de preto e branco (Purezinha estava com um vestido de ramagens brancas em fundo preto). "O copo continuou": – Ela parece ter sido muito íntima. Tem olhos azuis. "Dona Brasília, mãe de Purezinha, tinha olhos azuis. Havia, pois, de ser ela. Pedi ao irmão Ferraz que lhe perguntasse o nome e o copo imobilizou-se, sinal de que o espírito atuante está falando com outro. Depois escreveu": – Brasília Natividade."A mãe de Purezinha! Fizemos um barulhão, e eu": – Pergunte-lhe se pode tomar o copo e conversar conosco."O copo imobilizou-se de novo, e depois escreveu": – Ainda não tem permissão. – Que história de permissão é essa, Adamastor? Então há um governo aí, uma tutelagem ou que seja, de modo que até para uma simples conversa conosco é preciso "permissão"? Permissão de quem? – Nem nós o sabemos. – Pergunte à irmã Brasília se não tem desejo de conversar com os seus parentes vivos."

Entre os casos mais curiosos descritos por Lobato, há uma manifestação do Espírito de Tia Nastácia! Sim, a cozinheira de mão cheia do Sítio é baseada numa mulher que cuidou dos filhos dele quando eram crianças. Àquela altura já desencarnada, ela veio falar sobre si e sobre os filhos, também falecidos, de Lobato. Naqueles que foram seus último anos, o criador de Emília e cia. se tornaria um grande divulgador dos princípios espíritas, a exemplo de outros escritores, como o francês Victor Hugo e o alemão Thomas Mann. Olha só o que o Herculano Pires escreveu, na introdução do livro, sobre os textos espíritas do escritor:

Mas o que mais ressalta da sua leitura, como contribuição para o esclarecimento do problema espírita, é a maneira penetrante com que Lobato soube tirar, a cada instante, de pormenores aparentemente insignificantes, ilações conclusivas. Dispondo de recursos mediúnicos precários, de meios deficientíssimos de comunicação, limitando-se a diálogos telegráficos e muitas vezes frustrados, Lobato fez o contrário dos grandes cientistas que se afogaram sob avalanchas de provas sem compreendê-las. De uma palavra, de uma expressão, de um dado mínimo ele soube extrair elementos probatórios da sobrevivência do espírito após a morte corporal e da identidade dos comunicantes.

É o fraco!

4 comentários:

Chiz disse...

Caro Romário,

noto que vc tem feito um trabalho dos mais valorosos na divulgação do Espiritismo. Oxalá eu tenha algum dia tamanha iniciativa.
Grande abraço do Wakan.

Marinho disse...

Brilhante observação do Herculano! Tem muito mais do que espírito crítico entre os luminares da ciência, há birra! Há uma interpretação sobre os modernistas que fala que eles eram contra os "argumentos de autoridade". Reconhecer, portanto, a existências de milhões de autoridades extracorpóreas, muitas delas superiores e muito da gente seria demais para eles.

Mauro Dillmann Tavares disse...

Bonito o blog!!!

Parabéns!!!!

disse...

arabéns Romário, por sempre estar postando temas que interessam a todos nós espiritas, vc cuida muito bem desse espaço, arte e espiritismo.
bj